“Corra!” tem inteligência para surpreender

“Corra!” tem inteligência para surpreender

Suspense foge do sugerido excesso de polêmica, mas entrega pura e honesta diversão

 

Há pelo menos alguns meses o trailer de ‘Corra!’ (‘Get Out’ – EUA/2017) vem atiçando a curiosidade dos fãs do terror e do suspense. Com críticas muito boas mundo afora e notas altas em sites especializados, o longa prometia – por meio de um trailer muito bem editado – apresentar uma trama tensa e complexa, um terror humano (talvez com algum toque sobrenatural) que aborda um tema delicado: o racismo. Parecia uma espécie de versão macabra de ‘Adivinhe Quem Vem Para Jantar’ (comédia dramática de 1967 estrelada por Sidney Poitier)… e é quase isso mesmo.

 

A trama acompanha o jovem e talentoso fotógrafo Chris (Daniel Kaluuya) que após meses de um feliz relacionamento amoroso com Rose (Allison Williams), uma bela moça caucasiana, é meio que “intimado” pela namorada a viajar com ela pra conhecer seus futuros sogros e passar uns dias na casa deles. Inicialmente relutante, ele é convencido de que seus anfitriões não agiriam de forma preconceituosa (por ele ser negro) e ambos pegam a estrada.

 

Depois de alguns percalços durante a viagem (eles atropelam um cervo na rodovia e um policial branco o trata de forma discriminatória), eles chegam na casa dos pais de Rose e Chris rapidamente se tranquiliza com a hospitalidade e bom humor do afável casal (Bradley Whitford e Catherine Keener). Porém, com a chegada do futuro cunhado e de convidados – quase todos brancos e ricos – pra uma festa, o rapaz começa a desconfiar que algo estranho, muito estranho, acontece ali. Além disso, os dois empregados da casa (negros também) se comportam de forma sinistra e pra lá de suspeita.

 

Contar mais sobre a trama pode revelar spoilers e é recomendável evitar até mesmo o trailer (que entrega muito do que vai acontecer – podendo estragar boas surpresas) antes de assistir Corra!. Mas vale salientar que toda a expectativa daquele sugerido “soco no estômago cinematográfico” cuja temática principal, o racismo, poderia incomodar e gerar muita polêmica fica mais na promessa: o tom é suavizado aqui e a trama segue um rumo completamente diferente do esperado. Há referências de escravidão, de preconceito racial… mas o filme opta por uma abordagem que prioriza, antes de tudo, a diversão dos amantes do gênero terror/suspense – mesmo que a crítica social esteja ali de forma bem escancarada.

 

O roteiro é bem construído, com algumas surpresas e reviravoltas, o elenco é bem afiado – onde vale destacar o ator Lil Rel Howery, que interpreta o engraçado e desconfiado amigo de Chris e que serve como um alívio cômico muito bem vindo no meio de tanta tensão. O diretor e ator Jordan Peele, que roteirizou e dirigiu Corra!, é especializado em comédia, mas soube dosar bem os momentos leves e bem humorados e não deixa nada passar da medida, mantendo o suspense crescente e quase ininterrupto da metade pro final.

 

Pra encerrar, fica a dica com o inevitável trocadilho: Corra pra um cinema nesse fim de semana! Vale muito a pena conferir esse inteligente (mesmo sendo de produção até modesta) exercício de terror e suspense numa telona.