A Cabana vale a pena ser visitada

A Cabana vale a pena ser visitada

Best-seller do autor William P. Young vendeu mais de 15 milhões de cópias ao redor do mundo. Encantou pessoas, provocou a ira de outras e agora chega às telas do cinema

 

É muito complicado e delicado escrever sobre um filme de temática religiosa. Não só porque cada pessoa tem uma religião, mas porque cada pessoa tem uma ideia ou imagem de um ser superior. Retratar ou escrever sobre ele é caminhar sobre uma linha tênue que divide pessoas entre o amor e o ódio total.

 

Stuart Hazeldine foi o diretor responsável por fazer a adaptação do livro “A Cabana” para a grande tela. Para isso chamou dois ótimos atores para os papeis principais: Sam Worthington no papel do amargurado Mackenzie e Octavia Spencer interpretando Deus. Aviv Alush representa Jesus, Sumire aparece como o Espirito Santo e a brasileira Alice Braga faz o papel da Sabedoria.

O homem entre o pai, o filho e o espírito santo

A história acompanha Mack, um homem com feridas ocultas que vê sua vida virar de ponta cabeça após uma terrível tragédia familiar. Sua relação com Deus – que já não era das melhores – se torna pior, assim como o dia a dia com a sua família. Em um momento de solidão, Mack recebe um bilhete assinado por Deus pedindo que ele O encontre na cabana onde tudo se transformou em um pesadelo.

 

Após decidir encarar seu passado de dor, Mack se encontra com a trindade espiritual na cabana e, em meio à cegueira, dor e egoísmo, e questiona o motivo de todo mal que lhe aconteceu e continua a ocorrer ao redor do mundo.

 

Vale a pena

Apesar de fraco em muitos momentos e cheios de clichê, A Cabana não deixa de ser um filme que vale a pena ser visto. Não pela temática religiosa, mas pela mensagem de compreensão e perdão que ele passa. A mensagem que deixa explicita que o mal nada mais é que um círculo de ódio que só pode ser quebrado quando alguém decide transformar a sua dor e sofrimento em perdão e amor.

 

Este é Deus

O filme possui uma bela fotografia e é muito interessante assistir o Deus de Octavia Spencer. Sem dúvidas, a atriz foi uma das melhores escolhas do filme: a serenidade da sua voz e a expressão de amor mesmo diante de provocações e acusações, evoca uma imagem singela de como deve ser o todo poderoso.

 

A Cabana não é de todo um filme religioso, na verdade o filme pode ser bem aproveitado para aquele que vai de coração e mente aberta ao cinema. Se você procurar a Deus, vai achá-Lo. Se decidir ir em busca de resposta para a sua dor, vai encontrar. E se o seu desejo for fazer uma crítica da religião, também encontrará espaço para isso. A verdade é que o longa não busca ser mais do que realmente é.

 

Pode não ser nem de longe uma das melhores produções religiosas já feitas, mas sem dúvida pode tocar o coração de alguns. Uma rápida e simples visita à cabana não é tempo perdido e pode trazer alivio a certas mentes. A reação de cada pessoa à produção pode dizer mais sobre o lado pessoal dela do que sobre a obra de Young, o autor do livro original. Se Deus estivesse, não metaforicamente, mas de fato em sua frente, qual seria sua reação?

 

 

Conheça o livro: