Super-Heróis Brasileiros: Raio Negro

RAIO NEGRO

Nem tudo foi originalidade na saga dos supers criados no Brasil

* Por Wilson Ricoy

Responda rápido: quem é o personagem acima? Não…não é o Ciclope dos X-Men! O garboso herói acima é um herói de quadrinhos 100% nacional chamado Raio Negro!

Raio Negro foi criado em 1965 por Gedeone Malagola, um dos maiores quadrinistas brasileiros. Gedeone recebeu um pedido de Jayme Cortez (outra lenda dos quadrinhos nacionais) para criar um super-herói nacional para ser publicado pela GEP Editora.

Na época, Gedeone já tinha criado um outro personagem, chamado Homem-Lua, que foi recusado por Cortez, que mostrou para Gedeone alguns personagens da DC Comics. Dentre os apresentados, Gedeone teve imediata atração pelo Lanterna Verde. Assim, a inspiração imediata, associada ao curto prazo para a entrega do novo personagem para a editora de Cortez, fez com que nosso herói tivesse uma história de origem muito semelhante ao herói esmeralda da DC: um piloto da FAB (Força Aérea Brasileira), o Tenente Roberto Sales, em uma missão secreta no espaço (!), faz contato com uma espaçonave pilotada por um alienígena moribundo do planeta Saturno. Sales ajuda o alienígena a reprogramar sua nave para voltar para Saturno e recebe em agradecimento um anel de Luz Negra (tchãããã…daí o nome do personagem), que concede a Roberto super poderes que devem ser usados somente para combater o mal! Muuuuuuito original, hein?

Apenas como curiosidade: enquanto que nossos heróis brazucas anteriores (Capitão 7 e Capitão Estrela) foram baseados em heróis clássicos da Era de Ouro dos Quadrinhos (Flash Gordon e Superman), o Raio Negro foi o primeiro inspirado em um herói da Era de Prata (Lanterna Verde).

Vamos lembrar que Gedeone chegou a roteirizar algumas histórias não licenciadas de personagens da Marvel Comics para a GEP Editora. Uma das mais famosas histórias de Gedeone nesse período foi um encontro dos X-Men com o Poderoso Thor! Certamente foi daí que veio o visual do nosso herói, cópia descarada do Ciclope!

x-men_gedeone

Os principais poderes de Raio Negro eram super força, poder de voo, super velocidade e emissão de raios energéticos pelo anel de Luz Negra. Como todo herói tem seu arqui-inimigo, o Capitão Op-Art era a pedra no sapato de nosso herói. Como curiosidade, Op-Art era parecido fisicamente com o próprio Gedeone e seu nome era oriundo da habilidade do vilão em criar ilusões psicodélicas (pop-art…sacaram?).

Em sua identidade de Roberto Sales, Raio Negro namorava a filha do Coronel Campos, a doce Marajoara. Já Op-Art era Dante Rodrigues, um cientista especialista em Robótica que foi afastado das Forças Armadas por problemas mentais.

Raio Negro

A primeira revista Raio Negro foi lançada em 1966. Foram ao todo 24 aventuras roteirizadas e desenhadas por Gedeone e publicadas pela GEP Editora, entre sua revista mensal, especiais e almanaques. Apesar de poucos números, a revista fez bastante sucesso e criou uma legião de fãs no País.

Raio Negro permaneceu vivo na memória de toda uma geração de cresceu lendo as suas aventuras. Em 1982, a Grafipar, editora especializada em quadrinhos nacionais, tentou relançar o personagem lançando uma coletânea de histórias da década de 60, com capa do fantástico Watson Portela. Mas, infelizmente, a Grafipar faliu pouco tempo depois, vítima da crise econômica vigente na época. Algumas outras tentativas esporádicas foram feitas, porém, de maneira independente e sem divulgação apropriadas.

Como o quadrinho nacional está sendo feito atualmente por pessoas de muito talento e competência, vamos torcer para que esse saudoso herói volte ao nosso convívio e que as novas gerações possam se divertir com mais um grande super-herói nacional!

Voltarei em breve contando a história de Carlos da Silva, o Judoka!

Wilson RicoyWilson Ricoy
Esse bluesman inveterado foi mordido quando criança pelo bichinho Marvel / DC e continua acompanhando suas personagens prediletas até hoje. É bat-maníaco de carteirinha e nutre especial admiração pelos chamados heróis urbanos como o próprio Batman, além do Demolidor, Homem-Aranha e Arqueiro Verde. Fã absoluto de western spaghetti e filmes de James Bond, também e guitarrista da banda Blue 7.1 e proprietário da Toca da Coruja Núcleo Musical.    

 

12 Comentários

  1. Texto péssimo, somente desinforma o leitor!
    Essa história de que o Raio Negro é uma cópia já está defasada e ultrapassada!
    Estude mais antes de fazer uma matéria sobre um ícone da cultura nacional!
    http://primeirossuperherois.blogspot.com.br/2014/06/gedeone-malagola-o-wilson-simonal-dos.html
    http://primeirossuperherois.blogspot.com.br/2014/12/50-anos-do-raio-negro.html

    • Olá Rod!

      Muito boa a história que você escreveu. Nosso querido colaborador Wilson tem uma visão diferente da sua, mas essa é a graça, não é mesmo?

      Obrigado por ler nosso blog! Nós já viramos fãs do seu.

  2. Texto péssimo, somente desinforma o leitor!
    Essa história de que o Raio Negro é uma cópia já está defasada e ultrapassada!
    Estude mais antes de fazer uma matéria sobre um ícone da cultura nacional!
    http://primeirossuperherois.blogspot.com.br/2014/06/gedeone-malagola-o-wilson-simonal-dos.html
    http://primeirossuperherois.blogspot.com.br/2014/12/50-anos-do-raio-negro.html

    • Olá Rod!

      Muito boa a história que você escreveu. Nosso querido colaborador Wilson tem uma visão diferente da sua, mas essa é a graça, não é mesmo?

      Obrigado por ler nosso blog! Nós já viramos fãs do seu.

  3. Muito bom! Que venham outros heróis brasileiros! E surgiu uma polêmica aí 🙂

  4. Muito bom! Que venham outros heróis brasileiros! E surgiu uma polêmica aí 🙂

  5. Obrigado pelas gentis palavras, Thiago.
    Fui amigo pessoal de Gedeone Malagola, não é questão de opinião pessoal, prezado colega, pois antes de seu falecimento, em 2004, mestre Gedeone publicou no formato fanzine (era pra ser um livro mas nenhuma editora se interessou), “40 anos do Raio Negro”, onde revelou a VERDADEIRA história do Raio Negro e de outros super-heróis brasileiros dos anos 1960, que foram encomendas do departamento cultural do regime militar.
    É uma questão de falta de fonte bibliográfica, espaço que tento preencher na net, com meu blogue.
    Um abraço!

    • Tomara que você consiga colocar todo esse conhecimento na net. Conte conosco para a divulgação.
      Grande abraço!

  6. Obrigado pelas gentis palavras, Thiago.
    Fui amigo pessoal de Gedeone Malagola, não é questão de opinião pessoal, prezado colega, pois antes de seu falecimento, em 2004, mestre Gedeone publicou no formato fanzine (era pra ser um livro mas nenhuma editora se interessou), “40 anos do Raio Negro”, onde revelou a VERDADEIRA história do Raio Negro e de outros super-heróis brasileiros dos anos 1960, que foram encomendas do departamento cultural do regime militar.
    É uma questão de falta de fonte bibliográfica, espaço que tento preencher na net, com meu blogue.
    Um abraço!

    • Tomara que você consiga colocar todo esse conhecimento na net. Conte conosco para a divulgação.
      Grande abraço!

Comentários estão desabilitados neste post.